Cérebro humano – Longevidade

Um fato foi ignorado pelos pesquisadores neurológicas durante anos, enquanto se esforçaram para encontrar uma “bala mágica” que iria reverter a doença de Alzheimer. Agora, estudos recentes mostram uma correlação positiva entre a vitamina E e o retardamento do declínio cognitivo em pacientes com Alzheimer moderado, existem muitos pesquisadores dizendo que o reforço global da saúde do cérebro humano pode ser um dos fatores-chave na manutenção de níveis ótimos de funcionamento do cérebro à medida que envelhecemos.

Um fato foi ignorado pelos pesquisadores neurológicas durante anos, enquanto se esforçaram para encontrar uma “bala mágica” que iria reverter a doença de Alzheimer.

Agora, estudos recentes mostram uma correlação positiva entre a vitamina E e o retardamento do declínio cognitivo em pacientes com Alzheimer moderado, existem muitos pesquisadores dizendo que o reforço global da saúde do cérebro pode ser um dos fatores-chave na manutenção de níveis ótimos de funcionamento do cérebro à medida que envelhecemos.

Faz sentido então um programa de estilo de vida que tenha como meta a longevidade cerebral e que seja eficaz para nutrir o cérebro em cada nível. Modificações do estilo de vida já provou ser eficaz para ajudar pacientes que sofrem das três maiores causas de morte de pessoas no mundo: doenças cardíacas, câncer e derrames.

Longevidade cérebro

É extremamente importante obtermos informações para que possamos evitar o holocausto potencial de degeneração cerebral em números surpreendente, pois a expectativa de vida da população mundial cresce com o passar dos anos e garantir uma qualidade de vida é tudo que esperamos e buscamos.

É imprescindível ajudar as pessoas para reduzir a perda de memória associada a idades mais avançadas, pesquisas demonstram que 15% das pessoas que pensavam ter um distúrbio benigno, progridem para um quadro de demência real. Se pudermos prevenir, talvez nós podemos limitar o declínio cognitivo associado ao envelhecimento; invés de entrar numa espiral de degeneração a cada ano que passa, podemos entrar em um ciclo de regeneração e que estas pessoas contribuam com sabedoria às gerações que se seguem.

Dicas para um programa de longevidade do cérebro:

A primeira dica é a alteração nutricional, incluindo de 1 a 20% de gordura na dieta e de suplementos especiais. Um Programa de Longevidade do cérebro tem que ter um cardápio vegetariano? A resposta é não.

As pessoas simplesmente têm de se afastar do que costumava ser chamado de uma dieta rica em gorduras saturadas, alimentos ricos em colesterol, como carne e ovos. Adição de peito de frango, peixe e produtos de proteína não-animal, como o tofu .

Certos peixes são especialmente bons para o cérebro. Estes peixes incluem salmão, atum, truta, cavala e sardinha. No que diz respeito a suplementação , o mais importante são as vitaminas do complexo B para repor a energia, 50 mg por dia de vitamina E, 400-800 UI ao dia para ação anti-oxidante, coenzima Q-10, 100 mg por dia, por seu efeitos neuro-protetores, a erva Gingko Biloba, 120 mg por dia para aumentar o fluxo sanguíneo para o cérebro, e um composto relativamente novo para o cérebro específico com o nome científico de Phosphatidylserine, em doses de 200-300 mg por dia, é o tema de muitos estudos em todo o mundo, mostrando que melhora a atenção, concentração, memória de curto prazo e dá um efeito de proteção contra produtos químicos de estresse.

Isto é extremamente importante e leva a segunda dica de um programa de longevidade do cérebro.

A segunda dica  é a gestão de estresse. É crucial porque estresse crônico, desequilibra e provoca elevação do hormônio cortisol. O cortisol tem um efeito tóxico sobre o centro de memória do cérebro e pode causar perda de memória. A ferramenta de gerenciamento de estresse  através da meditação reduz o cortisol e aumenta em muitos aspectos a função mental. Massagens guiadas por imagens mentais positivas também têm obtido sucesso para reduzir  níveis de cortisol no sangue.

3) O exercício é a terceira dica, e deve ser dividido em três partes: exercício mental, exercício físico e exercício da mente /corpo: os que podem ser consumidos, por vezes também pode ocorrer alguns excessos de consumo.

3.a-) Exercício Mental –  Em nenhum lugar se aplica mais o velho ditado do que no cérebro: “Use-o ou perca-o”. Na verdade, Einstein tinha um cérebro razoavelmente normal quando se tratava de seus neurônios. Entretanto, o que era extremamente incomum foi a estrutura de seu cérebro, rica em apoio de células. Ou seja de tanto exercitá-lo o manteve saudável.

3.b-) Condicionamento aeróbico melhora a função mental, de 20 a 30%.Portanto o máximo que for possível é recomendada a pessoas que possam praticar este tipo de exercício.

3.c) A antiga arte de regeneração do cérebro, e de espírito inovador / exercícios de corpo, com a prática de yoga e meditação avançada, são importantes para reforçar a energia global do cérebro.

4) Um dos fármacos utilizados na atualidade para ajudar a regenerar as células cerebrais é L-Deprenyl citrato.

Deprenyl é um medicamento que foi estudado para aumentar a longevidade em animais e aumento de compostos bioquímicos no cérebro.

Em estudos recentes de pacientes com doença de Alzheimer moderada, Deprenyl melhorou a atenção, memória, fluência verbal e comportamento. Como Deprenyl pode retardar o declínio na cognição é um componente importante para aqueles que apresentam alguma forma de envelhecimento do cérebro.

Tal como acontece com todos os medicamentos, há relatos de efeitos colaterais e contra-indicações. Os efeitos secundários associados com Deprenyl podem incluir ansiedade e insônia, se a dose é muito alta. Pode ser contra-indicado em doentes que tomam anti-depressivos como o Prozac, e naqueles indivíduos que sofrem de doenças cardíacas.

Deprenyl só devem ser prescritos e tomados sob a supervisão do seu médico.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

5 respostas para Cérebro humano – Longevidade

  1. Pingback: Alimentos: seu caminho para a saúde e felicidade - WMnett

  2. Pingback: Cérebro Humano – Longevidade - WMnett

  3. Pingback: Nervo comprimido - WMnett

  4. Pingback: Mal de Alzheimer - WMnett

  5. Pingback: Lupus Eritematoso - WMnett

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *