Como as pessoas procuram perder peso?

Dietas ou um Cardápio para emagrecer? Quando o assunto é emagrecer, não tem muito segredo – ingeriu mais calorias do que gastou no seu dia, engordou. Ingeriu menos, emagreceu. Colocado dessa maneira parece bem simples, mas todos os dias milhares de pessoas sofrem com baixa autoestima.

Seja ao se arriscar na balança, ou ao tentar vestir uma roupa que já não cabe com tanto conforto, o fato é que o sobrepeso é incômodo para grande parte da população sim.

E, para combatê-lo, existem duas maneiras – uma que requer disciplina e consistência, e outra que apresenta resultados mais rápidos, porém não é muito saudável.

A primeira é montar um cardápio para emagrecer. Uma alimentação saudável, preferencialmente orientada por uma nutricionista, de maneira a adequar os seus hábitos alimentares à sua rotina, não só para ajudar você a perder peso, mas também para que você tenha mais disposição e energia ao longo do dia.

Apesar de ser o ideal para se manter em forma, raros são os casos de pessoas que seguem à risca uma alimentação planejada e eficiente. A maioria das pessoas prefere a segunda maneira de perder peso. E você sabe qual é.

Dietas. Isso mesmo. Aquela semaninha desesperadora sem carboidratos, 15 dias tomando sopa, ou quem sabe só comer folhas por 10 dias.

Dietas restringem a alimentação de maneira brusca, com cortes significativos de calorias que podem acabar causando tontura, fadiga e dor de cabeça aos menos acostumados.

Também exigem disciplina, por um tempo significativamente menor, porém em doses cavalares. Existe todo o tipo de dieta – as mais procuradas na internet são as seguintes:

Dieta da USP, que promete uma perda de peso drástica – 1 quilo por dia. A dieta impõe uma forte restrição de carboidratos e tem um cardápio extremamente radical e rígido. Um sofrimento de uma semana que pode ser prolongado por mais uma e interrompido imediatamente para não causar muitos problemas ao corpo. A Dieta da USP é praticamente uma dieta de carboidratos mais severa.

A Dieta Japonesa segue a mesma linha da Dieta da USP – restrição de carboidratos. Porém seu cardápio é mais flexível – ele possui grupos de alimentos que podem ser alterados e combinados entre si durante as semanas da dieta, de maneira a deixá-la menos enjoativa e cruel. Também promete uma redução violenta e rápida de peso.

á seguindo uma linha bem diferente das dietas acima, a Dieta do Sangue monta o seu cardápio para emagrecer de acordo com o tipo sanguíneo do indivíduo – pessoas do tipo O devem consumir mais proteína animal, enquanto pessoas do tipo AB podem abusar mais dos laticínios, etc. Ela se baseia em dados antropológicos e socio-culturais para montar o menu de cada um dos grupos sanguíneos.  Se funciona? Só tentando.

Enfim, o ponto que deve ser levantado aqui é o seguinte: existem diversas dietas e regimes malucos aí com propostas de todos os tipos. Desconfie sempre daquelas que parecem muito fáceis, gostosas ou divertidas, e procure focar nas dietas que tentam direcionar você para uma reeducação alimentar. A melhor maneira de ficar em forma é se manter em forma. 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *